Tanto o transporte marítimo como os portos devem ser pensados, não como entidades separadas, mas como componentes
interligados, como duas peças de uma engrenagem" Koji Sekimizu , Secretário-Geral da IMO

domingo, 22 de maio de 2016

Rebocador "DUTCH PIONEER" na Praia da Vitória



© Copyright fotos e texto: Cte Rui Carvalho, Terceira.
Fotos dia 19-5-2016
Registo fotográfico do rebocador de alto-mar "DUTCH PIONEER" no porto da Praia da Vitória, juntamente com a barcaça "NP476" semi-carregada de equipamento de construção civil da empresa SOMAGUE, material destinado à obra de ampliação do Porto da Casa na Ilha do Corvo. Na Praia da Vitória embarcará outro tanto com o mesmo destino.
 Nome: DUTCH PIONEER.
Tipo: Rebocador.
IMO: 9229544.
Indicativo: PBBK.
MMSI: 244153000.
Bandeira: Holanda.
Porto de Registo: Dordrecht.
Número Oficial: 38319.
Donos: Dutch Pioneer BV- Dordrecht, Holanda.
Operadores: Seacontractors BV- Middelburg, Holanda.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construção: 2001.
Estaleiro: Scheepswerf "De Plaete" B.V.- Ooltgensplaat, Holanda- Casco#2001.
Comprimento Fora a Fora: 25,80 metros.
Boca Máxima: 7,86 metros.
Calado: 2,63 metros.
Arqueação Bruta: 167,00 toneladas.
Porte Bruto: 108,00 toneladas.
Gruas: 1X 5,30 toneladas.
Tracçao Fixa: 24,00 toneladas.
Potência de Máquinas: 1,308 kW (1,778 hp), 2,055 rpm. 2 hélices FP, 343,00 rpm.
Velocidade Máxima: 11,00 nós.
Potência de Máquinas Auxiliares: 268,00 kW.
Potência de Geradores Auxiliares: 128,00 kW.
Potência de Thruster: 88,00 kW (120,00 bhp).

quinta-feira, 19 de maio de 2016

O PORTO DAS PIPAS E O NOSSO DINHEIRO – Capítulo 2

Artigo da autoria do Eng. José Ribeiro Pinto, Terceira.
Começo por voltar a dizer que sou daquelas pessoas que pensam que todo o dinheiro que o Governo e as Câmaras Municipais gastam é nosso, do povo, mesmo aquele que nos foi dado pela União Europeia (os chamados Fundos Comunitários). Por isso, não vou na conversa de que “nesta obra ou nesta aquisição só gastamos 15% porque o resto é pago pela União Europeia”. Não, o dinheiro é-nos dado pela UE e nós gastamo-lo como quisermos, ou melhor devemos gastá-lo o melhor possível! 
No início do mês de Março (notícia no DI de 5 de Março) os Senhores Presidentes do Governo Regional e da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo anunciaram no final de uma reunião entre ambos que a solução para a requalificação do Porto das Pipas já estava encontrada, agradando a ambas as partes, mas que só seria conhecida “dentro em breve”. O autarca de Angra do Heroísmo adiantou que “as obras vão permitir que o porto receba sem restrição navios até aos 150 metros, com rampa rol-on/rol-off, que permite a operação de navios que tenham acesso de viaturas. O Porto das Pipas não terá um cais de cruzeiros, como anteriormente prometido, mas também poderá receber cruzeiros temáticos””. E o Sr. Presidente do Governo acrescentou: “Mais importante que as terminologias é a funcionalidade e mais ainda o potencial que essa infraestrutura pode ter…podendo ser um factor de atractividade de mais escalas ainda de cruzeiros temáticos…”, deixando claro (sublinhado nosso) que “não há intenção de transferir navios da Praia da Vitória para Angra do Heroísmo”.
No Diário Insular de 23 do mesmo mês o Sr. Presidente da Câmara revelou que o Porto das Pipas terá um cais prolongado para Sul de cerca de 94 metros, para garantir uma frente de acostagem de 140 metros e uma rampa roll-on/roll-off na extremidade Norte deste cais (portanto à entrada da marina) com 22 metros de largura possibilitando não só a operação dos navios do tipo do “Santorini” como até a operação do “Mestre Simão” e do “Gilberto Mariano” ao mesmo tempo!!! Considera ainda que, embora não esteja prevista a transferência da operação da PV para AH, nas Sanjoaninas ou em alturas de maior procura por AH, o porto já estará preparado para receber os navios de média dimensão e está satisfeito porque esta solução não condiciona futuras obras.
Eu acho isto extraordinário! Quantos cruzeiros temáticos recebemos na Terceira em cada ano? 0, 1 ou 2? E a maior parte deles até pode atracar no cais actual! Quantos é que vamos receber mais? Não sabemos e, o mais provável é que não passemos disto, porque não é fácil atrair cruzeiros temáticos aos Açores. Como o Sr. Presidente do Governo afirma claramente que a operação dos ferries não vai passar da Praia para Angra, então o Governo Regional está disponível para gastar 10 milhões de euros no Porto das Pipas sem nenhuma razão forte que o justifique, a não ser satisfazer a vontade do Sr. Presidente da Câmara, que acha muito importante que o navio Santorini venha a Angra nas Sanjoaninas!
É que a questão não seria a obra (digo seria porque não acredito que venha a ser feita) não condicionar futuras obras naquele porto e manter todas as possibilidades de outras obras em aberto. A questão é outra e muito simples:
-1.º - Não estamos a nadar em dinheiro.
- 2.º - A obra praticamente não serve para nada.  
Falemos claro: De facto não faz qualquer sentido pensar mudar os ferries da Praia para Angra. E parece que afinal estamos todos de acordo quanto a isso! Com os novos ferries a transportar carga rodada e seja lá o que mais for, a hipótese de mudança ainda mais impossível seria.
Infelizmente não vai haver mais cruzeiros temáticos no Porto das Pipas! É um facto. E também é “super-óbvio” que nunca teremos a operação dos navios “Mestre Simão” e “Gilberto Mariano” ao mesmo tempo, neste porto, pelo que não faz sentido, por isso, uma rampa com 22 metros de largura.  
Assim sendo, o que importa é fazer no Porto das Pipas uma rampa adequada ao “Mestre Simão” e mais nada!
Esses 10 milhões serão muito mais necessários e urgentes no Porto da Praia da Vitória. Quando tivermos os dois novos ferries é evidente que teremos que ter naquele porto duas rampas, e provavelmente dois cais, pois a maior parte das vezes os dois navios deverão operar ao mesmo tempo. Os passageiros e cargas que vêm num navio e mudam para o outro não podem ficar em cima do cais à espera que saia um ferry para entrar o outro!!!   
Aliás, já vai sendo tempo, também, de pensar em ampliar e requalificar a Gare de Passageiros do Porto da Praia da Vitória. São muitos os passageiros que passam neste porto e muitas vezes com tempos de espera grandes e com enorme desconforto.
Por outro lado, também é urgentíssimo rever a maneira como a promoção de Angra do Heroísmo tem sido feita (ou, provavelmente, até nem tem sido feita…) relativamente aos cruzeiros. É inacreditável que, passando nos Açores cerca de 140 cruzeiros, só 20 é que venham à Terceira – Há duas razões: A promoção não é bem feita e os operadores nem sabem que Angra - Património Mundial existe e, por outro lado, só há uma dúzia de autocarros na ilha, quando devia haver o dobro, pelo menos. Seria bem melhor que os Srs. Presidentes das Câmaras da ilha se preocupassem com isto e que o Sr. Presidente do Governo tivesse mais atenção com os gastos do dinheiro.
È que o dinheiro é nosso e é pouco para ser deitado ao mar com ideias peregrinas!  
* Não respeita o acordo ortográfico

O PORTO DE PIPAS E O NOSSO DINHEIRO  - Capítulo 1 (AQUI)

AVISO PRÉVIO DE GREVE


AVISO PRÉVIO DE GREVE

TRABALHADORES DAS ADMINISTRAÇÕES PORTUÁRIAS DOS PORTOS DE VIANA DO CASTELO, DOURO E LEIXÕES, AVEIRO, FIGUEIRA DA FOZ, LISBOA, SETÚBAL, SINES, DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA, DA PORTOS DOS AÇORES-SA, DGPSM, DGPTG E DGPTO E TRABALHADORES DO TERMINAL DE GRANÉIS LIQUIDOS DE SINES, NOMEADAMENTE OS PERTENCENTES AO QUADRO DA APS E QUE ALI PRESTAM SERVIÇO

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias, nos termos e ao abrigo da Lei aplicável, em nome e representação dos trabalhadores acima mencionados declara greve à prestação de trabalho a partir das 00.00 horas do dia 02 de Junho de 2016, até às 24 horas do dia 06 de Junho de 2016, em relação a todas e quaisquer operações e atividades em que devam ou possam intervir.
Constituem fundamentos para a greve decretada, nomeadamente, a ausência de resposta do Governo ao processo de descongelamentos, não obstante os compromissos assumidos, o facto de objetivamente algumas Administrações Portuárias violarem claramente a legislação laboral aplicável aqueles trabalhadores, incluindo o ACT em vigor, e ainda a situação para que está a ser arrastado o Porto de Lisboa, tornando-o insustentável com as inevitáveis e gravíssimas consequências para todos os seus trabalhadores.
Propõem-se como serviços mínimos a assegurar durante o período da greve no âmbito das Administrações Portuárias, uma tripulação (composta por um mestre, um marinheiro e um motorista marítimo) que exclusivamente intervirá em situações de emergência relacionadas com segurança.
No âmbito do Terminal de Granéis Líquidos de Sines ficam aqui, por remissão, os serviços mínimos definidos pelo Acórdão do Tribunal Arbitral, de 08 de Setembro de 2011 (Procº. nº 35/2011-SM).

Lisboa 17 de Maio de 2016

Comunicado : Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Estreia do N/T "PEONIA" no porto da Praia da Vitória




Sr. Mário Lima /Departamento de Gestão Ambiental, Higiene e Segurança no Trabalho.
© Copyright texto e fotos: Cte Rui Carvalho, Praia da Vitória.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston, EUA.
Fotos referentes à estreia do N/T "PEONIA" no porto da Praia da Vitória, onde da mesma companhia HandyTankers já nos visitaram, se a memória não nos falha, os N/T "MAERSK RIESA" (ver aqui) em Fevereiro de 2013 e "MAERSK RHODE ISLAND" (ver aqui) em Setembro de 2011.
Nome: PEONIA.
Tipo: Produtos Químicos.
IMO: 9313436.
Indicativo: 9HA3659.
MMSI: 229848000.
Bandeira: Malta.
Porto de Registo: Valletta.
Número Oficial: 9313436.
Donos: Motia Compagnia di Navigazone SpA- Veneza, Itália.
Operadores: Handytankers K/S- Copenhaga, Dinamarca.
Classe: Registro Italiano Navale.
Ano de Construção: 2005.
Estaleiro: STX Shipbuilding Co. Ltd.- Changwon, Coreia do Sul- Casco#2002.
Comprimento Fora a Fora: 164,50 metros.
Boca: 27,60 metros.
Calado: 10,51 metros.
Arqueação Bruta: 19,549 toneladas.
Porte Bruto: 28,987 toneladas.
Número de Tripulantes: 20.
Potência de Máquina: 7,860 kW (10,686 hp), 129,00 rpm. 1 hélice FP, 129,00 rpm.
Velocidade de Serviço: 14,50 nós.
Potência de Geradores Auxiliares: 2,220 kW.
Potência de Thruster: 736,00 kW (1,001 bhp).

sábado, 14 de maio de 2016

"Paraguana I", o primeiro da família Superseacat

A família MDV1200-Superseacat

A Atlânticoline, anunciou ontem que houve uma alteração relativamente ao segundo navio que irá operar nos Açores a partir de 9 de Junho. Anteriormente havia sido anunciado o catamarã "Alkioni" (Ver AQUI), contudo o armador que venceu o concurso decidiu alterar o navio, sendo agora o escolhido o "Paraguana I". 
Trata-se então de um navio da conhecida série, "MDV1200-Superseacat", da qual faz parte o conhecido "Hellenic Wind". Contudo o, "Paraguana I", o primeiro da série, possui um casco em aço e  uma motorização diferente.
Os MDV1200 (conhecidos como Superseacat ), são uma série de Hight Speed Crafts (HSC), construídos pelos estaleiros Fincantieri, Itália, para a Ocean Bridge Investments e Sea

 Containers, Lda. entre 1996 e 1999, tendo sido construídos 6 destes navios. Os primeiros 2 navios do tipo MDV1200, foram o HSC Pegasus One e HSC Pegasus Two, construídos para a Ocean Bridge Investments em 1996 e 1997 respectivamente. Mais 4 destes navios foram construídos para a Sea Containers, Lda. entre 1997 e 1999. A Sea Containers Lda originalmente tinha encomendado um navio Auto Express 78 à Austal Ships, mas o primeiro da série falhou a velocidade requerida e foi recusado, tendo então a Sea Containers, Lda. optado pelos Estaleiros Fincantieri e encomendado 2 destes
navios MDV1200, e depois mais dois. Características dos Superseacat: Comprimento 100,3 metros, boca 17,1 metros,calado 2,6 metros, 689 passageiros, 120 viaturas e 4 autocarros, velocidade de serviço 35 nós e máxima 40 nós, motores 4x Ruston V 20 RK270 diesel, com 6875 KW de potência, fornecida a 4 jactos de água Kamewa S112, impulsor de proa Brunvoll FU-45 LTC 1225-330 KW. De salientar que o desenho exterior deste tipo de navio foi concebido pelos famosos escritórios de design Pininfarina, Itália que contam com clientes famosos, como a Ferrari, Maserati, Volvo, e projectos de arquitectura como por exemplo o estádio da Juventus, entre outros .


Família MDV1200 Superseacat:

1º -"Pegasus One", IMO 9125891, casco nº 5965 em aço,  lançado à água a 1996-02-23. Foi renomeado, "St. Matthew", em 2002, "Tallink Autoexpress 4", em Junho de 2004, "Speedrunner II", em Abril de 2007, "Speedrunner" ,em  Setembro de 2005, e "Paraguana I", em Dezembro de 2015, nome actual.

Máquina4 x M.T.U.  20V1163TB73  ; Potência : 32,632 hp; Propulsão: 4 waterjets: Velocidade serviço: 37 nós.



2º- "Pegasus Two", IMO 9130925, casco nº 6005 em aço, lançado à água a 1997-02-27. Foi renomeado, "Shannon Alexis", em Maio de 2001,  "Tallink Autoexpress 3", em Fevereiro de 2004, e  "Queen Nefertiti", em Maio de 2007, nome actual. 
Máquina: 4 x M.T.U.  20V1163TB73  ; Potência : 35,348 hp; Propulsão: 4 waterjets: Velocidade serviço: 37,5 nós.


3º- "Superseacat One", IMO 9141833, casco nº 5999 em aluminio, lançado à água a 1997-02-15. Foi renomeado, "Almudaina Dos" ,em Abril de 2006.
Máquina4 x Ruston, 20RK270; Potência: 37,388 hp; Propulsão: 4 waterjets: Velocidade serviço: 38 nós.

4º- "Superseact Two", IMO 9141845, casco nº 6000 em aluminio, lançado à água a 1997-03. Foi renomeado, "Viking", em Fevereiro de 2008, "Hellenic Wind", em Outubro de 2009, e "Hellenic HighSpeed", em Dezembro de 2015, nome actual.
Máquina4 x Ruston, 20RK270; Potência: 37,388 hp; Propulsão: 4 waterjets: Velocidade serviço: 38 nós.

5º- "Superseacat Three", IMO , 9141871, casco nº 6003 em aluminio,  lançado à água a 1998-10-03. Foi renomeado, "Speedrunner III", em Junho de 2009, nome actual.
Máquina: 4 x Ruston, 20RK270; Potência: 37,388 hp; Propulsão: 4 waterjets: Velocidade serviço: 34 nós.

6º- " Superseacat Four", IMO 9141883, casco nº 6004 em aluminio, lançado à água a 1998-10-16. Foi renomeado, "Speedrunner IV" em Maio de 2007.
Máquina: 4 x Ruston, 20RK270; Potência: 37,388 hp; Propulsão: 4 waterjets: Velocidade serviço: 38 nós.

(©) Copyright texto: MM Bettencourt, Graciosa.
Fontes: Wikipedia; Absolute Astronomy & Ship-Technology.
 (©) Copyright fotos:  Aleksi Lindström;  Superseacat;  Joonas Kortelainen;  Ship-Technology.


sexta-feira, 13 de maio de 2016

HSC "Paraguana I", substitui o HSC "Alkioni"

© Copyright foto: Autor desconhecido.
Fonte/Texto: Atlânticoline.
PARAGUANA I
A Atlânticoline informa que o segundo navio que inicia a sua operação a 9 de junho, será o "Paraguana I" em substituição do Alkioni. Esta alteração surge a pedido do armador e está previsto no cadernos de encargos.
Trate-se de um High Speed Craft, monocasco em aço, com capacidade para 670 passageiros e 147 viaturas e com 95 metros de comprimento.
A velocidade máxima é de 34 nós a 100% MCR, contudo o navio irá operar a uma velocidade de serviço de 22/23 nós por uma questão de poupança de combustível.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

"Express Santorini", e o seu reflexo



© Copyright fotos: MM Bettencourt, Graciosa.
Registo  fotográfico da escala no porto da Graciosa do ferry, "Express Santorini", no dia 5 de Maio de 2016.

domingo, 8 de maio de 2016

"Oriana", "Expedition", e "Express Santorini", ontem em Ponta Delgada


Nome: EXPEDITION.
Tipo: Passageiros/Cruzeiro.
IMO: 7211074.
Indicativo: A8QL4.
MMSI: 636013956.
Bandeira: Liberia.
Porto de Registo: Monrovia.
Numero Oficial: 13956.
Donos: CC Ship Holding I Ltd.- Grand Cayman, Ilhas Cayman.
Operadores: Expedition Shipping Co. Ltd.- Bridgetown, Barbados.
Classe: Lloyd's Register.
Ano de Construcao: 1972.
Estaleiro: Helsingor Vaerft A/S- Helsingor, Dinamarca.- Casco#398.
Data de Entrega: 14/07/1972.
Comprimento Fora a Fora: 105,23 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 94,01 metros.
Boca Máxima: 18,93 metros.
Pontal: 11,56 metros.
Calado: 4,71 metros.
Altura: 34,50 metros.
Deslocamento: 4,667 toneladas.
Arqueação Bruta: 6,334 toneladas.
Arqueação Liquida: 1,900 toneladas.
Porte Bruto: 965,00 toneladas.
Numero de Conves: 6. Numero de Cabines: 62. Numero de Camas: 137. Numero de Tripulantes: 53.
Potencia de Maquinas: 5,200 kW (7,070 hp), 900,00 rpm. 2 hélices CP.
Velocidade de Serviço: 16,00 nos.
Potencia de Maquinas Auxiliares: 1,756 kW.
Potencia de Geradores Auxiliares: 1,600 kW.
Potencia de Thruster: 588,00 kW (799,00 bhp).
Nomes Anteriores: Kattegat (07/1972-01/1978), N. F. Tiger (01/1978-01/1985), Tiger (01/1985-01/1986), Alandsfarjan (01/1986-06/2008).
Transformado de Ferry de Passageiros/Viaturas em Navio de Passageiros/Cruzeiro entre 10 de Junho de 2008 e 4 de Abril de 2009. Aumentado em 2002.

© Copyright fotos: António Simas.
Navios de cruzeiros, "Oriana", e "Expedition", ontem em Ponta Delgada, este último atracado no caís comercial, tendo como companhia o nosso bem conhecido, "Express Santorini", que opera ao serviço da Atlãnticoline.


"Serenade of the Seas", em Ponta Delgada

© Copyright fotos: António Simas, S. Miguel.
Pesquisa de dados técnicos: Paul Peixoto, Boston EUA.
Registo da escala no porto de Ponta Delgada, na passada sexta-feira dia 6 de Maio, do navio de cruzeiros, "Serenade of the Seas", da Royal Caribbean.
Nome: SERENADE OF THE SEAS.
Tipo: Passageiros/Cruzeiro.
IMO: 9228344.
Indicativo: C6FV8.
MMSI: 311492000.
Bandeira: Bahamas.
Porto de Registo: Nassau.
Numero Oficial: 9000068.
Donos e Operadores: Royal Caribbean Cruises Ltd.- Miami, Florida, EUA.
Classe: Det Norske Veritas.
Ano de Construção: 2003.
Data de Entrega: 30/07/2003.
Estaleiro: Josef L. Meyer GmbH- Papenburg, Alemanha. Casco#657.
Comprimento Fora a Fora: 293,20 metros.
Comprimento entre Perpendiculares: 266,23 metros.
Boca Máxima: 39,80 metros.
Pontal: 10,70 metros.
Calado: 8,50 metros.
Arqueação Bruta: 90,090 toneladas.
Arqueação Liquida: 53,812 toneladas.
Porte Bruto: 11,960 toneladas.
Numero de Convés: 15. 12 para Passageiros. Numero de Cabines: 1,050. Numero de Camas: 2,500. Numero de Tripulantes: 858.
Potencia de Maquinas: 61,408 kW (83,490 hp). 2 hélices Azimutais.
Velocidade de Serviço: 24,00 nos.
Velocidade Máxima: 25,00 nos.
Potencia de Gerador Auxiliar: 3,120 kW.
Potencia de Thruster: 2,010 kW (2,733 bhp).

NRP "Figueira da Foz", em Angra do Heroísmo





© Copyright fotos: Mário Silva, Terceira.
Navio Patrulha Oceânico, "Figueira da Foz", de visita ontem ao porto Pipas, em Angra do Heroísmo. O navio da Marinha Portuguesa cumpre a  missão de segurança e autoridade do Estado no mar dos Açores.